Destaque

Novas descobertas sobre a reação do sistema imunológico à malária e à doença falciforme

Fonte

Universidade de Exeter

Data

segunda-feira. 22 março 2021 12:10

Pesquisadores das universidades de Aberdeen, Edimburgo, Exeter e Imperial College de Londres, no Reino Unido, descobriram com mais detalhes como o sistema imunológico do corpo humano reage à malária e à doença das células falciformes. O estudo foi publicado na revista científica Nature Communications.

Todos os anos ocorrem cerca de 200 milhões de casos de malária, que causa cerca de 400.000 mortes. Como causa resistência à malária, a mutação da doença falciforme se espalhou amplamente, especialmente na África.

Mas se uma criança herda uma dose dupla do gene – da mãe e do pai – ela desenvolverá a doença falciforme. Cerca de 20.000 crianças nascem com doença falciforme todos os anos e atualmente é a doença monogênica mais comum entre a população do Reino Unido.

Os pesquisadores descobriram que os açúcares chamados manoses são expressos nas superfícies de ambos os glóbulos vermelhos infectados com parasitas da malária e também afetados pela doença falciforme. As manoses fazem com que as células infectadas e as células falciformes sejam consumidas no baço.

A equipe espera que as descobertas ajudem a desenvolver novos tratamentos para a malária.

O investigador principal, o Dr. Mark Vickers, professor de Medicina da Universidade Aberdeen, explicou: “A malária e a doença falciforme são responsáveis ​​por centenas de milhares de mortes por ano, mas muitos aspectos de como o sistema imunológico do corpo reage a essas doenças não são totalmente compreendidos. Este projeto colaborativo revelou mais do que nunca sobre as cadeias de eventos que ocorrem nessas doenças e pode, esperançosamente, contribuir para a pesquisa de novos tratamentos.”

“Esta é uma descoberta verdadeiramente seminal que lança luz sobre como os glóbulos vermelhos anormais são reconhecidos e eliminados pelo sistema imunológico, com implicações importantes para futuras abordagens terapêuticas para tratar um gama de doenças, incluindo malária e doença falciforme, descritas aqui”, concluiu o Dr. Gordon Brown, coautor do estudo e professor da Universidade de Exeter.

Acesse o artigo científico completo (em inglês).

Acesse a notícia completa na página da Universidade de Exeter (em inglês).

Fonte: Universidade de Exeter.

Em suas publicações, o Canal Farma da Rede T4H tem o único objetivo de divulgação científica, tecnológica ou de informações comerciais para disseminar conhecimento. Nenhuma publicação do Canal Farma tem o objetivo de aconselhamento, diagnóstico, tratamento médico ou de substituição de qualquer profissional da área da saúde. Consulte sempre um profissional de saúde qualificado para a devida orientação, medicação ou tratamento, que seja compatível com suas necessidades específicas.

Os comentários constituem um espaço importante para a livre manifestação dos usuários, desde que cadastrados no Canal Farma e que respeitem os Termos e Condições de Uso. Portanto, cada comentário é de responsabilidade exclusiva do usuário que o assina, não representando a opinião do Canal Farma, que pode retirar, sem prévio aviso, comentários postados que não estejam de acordo com estas regras.

Leia também

2024 farma t4h | Notícias, Conteúdos e Rede Profissional nas áreas de Ciências Biológicas, Biomédicas e Farmacêuticas, Saúde e Tecnologias 

Entre em Contato

Enviando

Fazer login com suas credenciais

ou    

Esqueceu sua senha?

Create Account