Notícia

Nova estratégia sem antibióticos para o tratamento da meningite bacteriana

Pesquisadores podem ter identificado um tratamento alternativo para a meningite bacteriana, uma infecção grave que pode levar à sepse

Dr. Tirthankar Mohanty

Fonte

Universidade Lund

Data

quarta-feira, 10 abril 2019 19:25

Áreas

Bacteriologia.

Nosso sistema imunológico tem vários defensores importantes quando uma infecção afeta o sistema nervoso central. Pesquisadores suecos mapearam o que acontece quando um deles, os glóbulos brancos chamados neutrófilos, intervêm na meningite bacteriana.

Se houver uma infecção, os neutrófilos se posicionam na área infectada para capturar e neutralizar as bactérias. É uma batalha dura e os neutrófilos geralmente morrem, mas se as bactérias são difíceis de eliminar, os neutrófilos recorrem a outras táticas. “É como se, frustrados, eles se virassem do avesso em uma tentativa desesperada de capturar as bactérias que não conseguiram superar. Usando essa abordagem, eles capturam várias bactérias ao mesmo tempo em estruturas semelhantes a redes, ou armadilhas extracelulares de neutrófilos (NETs). Isso funciona muito bem em muitos lugares do corpo onde as NETs contendo as bactérias capturadas podem ser transportados no sangue e depois neutralizados no fígado ou no baço, por exemplo. No entanto, no caso da meningite bacteriana, essas NETs ficam presas no espaço cérebro-espinhal e seu funcionamento não é muito eficaz ”, explica o Dr. Adam Linder, professor da Universidade Lund, na Suécia,  e especialista em Doenças Infecciosas no Hospital Universitário de Skåne.

Pesquisadores observaram, usando microscopia avançada, que o líquido cefalorraquidiano de pacientes com meningite bacteriana estava nublado e cheio de grumos, o que provou ser NETs. No entanto, entre os pacientes com meningite viral, o líquido cefalorraquidiano estava livre de NETs. Quando as bactérias capturadas são capturadas no líquido cefalorraquidiano, isso afeta negativamente o trabalho do sistema imunológico de eliminar as bactérias e também impede que os antibióticos convencionais atinjam as bactérias, explica o Dr. Adam Linder.

Seria possível cortar as NETs para que as bactérias sejam expostas ao sistema imunológico do corpo, assim como aos antibióticos, facilitando o combate à infecção? Como as NETs consistem principalmente de DNA, os pesquisadores investigaram o que aconteceria se fosse usada uma droga “cortar” o DNA, a chamada DNase.

“Nós demos DNase a camundongos infectados com bactérias pneumocócicas, que causaram meningite bacteriana, e pudemos mostrar que as NETs se dissolveram e as bactérias desapareceram. Parece que quando cortamos as NETs, ​​as bactérias são expostas ao sistema imunológico, o que torna mais fácil combater as bactérias. Fomos capazes de facilitar uma redução significativa no número de bactérias sem a intervenção de antibióticos”, afirmou o Dr. Tirthankar Mohanty, um dos pesquisadores participantes no estudo.

Antes dos antibióticos, a taxa de mortalidade por meningite bacteriana era de cerca de 80%. Com o advento dos antibióticos, a taxa de mortalidade caiu rapidamente para cerca de 30%.

“O desenvolvimento de resistência nas bactérias está se acelerando e precisamos de alternativas aos antibióticos. A droga que usamos nos estudos é um produto biológico terapêutico derivado de seres humanos e já foi aprovado para uso humano. Eles não são caros e também foram testados contra muitas bactérias e infecções diferentes. A meningite bacteriana é um grande desafio em muitas partes do mundo. Na Índia, por exemplo, é uma das principais causas de morte entre as crianças, por isso haveria benefícios significativos de usar essa estratégia de tratamento ”, conclui o Dr.  Tirthankar Mohanty.

Os pesquisadores querem continuar com um grande estudo clínico internacional e usar a DNase no tratamento de pacientes com meningite bacteriana. Os resultados do estudo até squi foram publicados na revista científica Nature Communications.

Acesse o resumo do artigo científico (em inglês).

Acesse a notícia completa na página da Universidade Lund (em inglês).

Fonte: Universidade Lund. Imagem: Dr. Tirthankar Mohanty.

Em suas publicações, o Canal Farma da Rede T4H tem o único objetivo de divulgação científica, tecnológica ou de informações comerciais para disseminar conhecimento. Nenhuma publicação do Canal Farma tem o objetivo de aconselhamento, diagnóstico, tratamento médico ou de substituição de qualquer profissional da área da saúde. Consulte sempre um profissional de saúde qualificado para a devida orientação, medicação ou tratamento, que seja compatível com suas necessidades específicas.

Os comentários constituem um espaço importante para a livre manifestação dos usuários, desde que cadastrados no Canal Farma e que respeitem os Termos e Condições de Uso. Portanto, cada comentário é de responsabilidade exclusiva do usuário que o assina, não representando a opinião do Canal Farma, que pode retirar, sem prévio aviso, comentários postados que não estejam de acordo com estas regras.

Leia também

2021 Canal Farma | Portal de Notícias, Conteúdos e Rede Profissional em Ciências Farmacêuticas, Tecnologias e Saúde da Rede T4H.

Entre em Contato

Enviando

Fazer login com suas credenciais

ou    

Esqueceu sua senha?

Create Account