Notícia

Biomarcadores preveem risco de lesão renal em crianças gravemente doentes

Equipe de pesquisadores analisou o potencial de dois marcadores de prever a LRA grave em crianças internadas em Unidade de Terapia Intensiva Pediátrica

Aditya Romansa via Unsplash

Fonte

Universidade de Liverpool

Data

segunda-feira, 9 novembro 2020 12:40

Áreas

Biomarcadores. Medicina Intensiva. Saúde da Criança.

Pesquisadores da Universidade de Liverpool, no Reino Unido, desenvolveram um método único de identificar os primeiros sinais de uma condição potencialmente grave conhecida como Lesão Renal Aguda (LRA).

A condição ocorre geralmente em crianças gravemente doentes internadas em unidades de terapia intensiva pediátrica, muitas vezes por causa da redução do suprimento de sangue para os rins (por exemplo, devido à desidratação ou sepse), cirurgia de ponte de safena ou devido a medicamentos que podem causar lesão renal. Crianças que desenvolvem LRA têm resultados mais limitados, incluindo maior tempo de internação e aumento da mortalidade. Elas também têm um risco aumentado de redução da função renal em longo prazo (Doença Renal Crônica).

O diagnóstico de LRA depende da identificação da elevação da creatinina no sangue. No entanto, isso só aumenta lentamente após uma lesão renal, portanto, a identificação da LRA é frequentemente tardia. Se os médicos pudessem identificar crianças com alto risco de LRA precocemente, a terapia preventiva poderia ser instituída anteriormente e proteger os rins de novas lesões.

No estudo, liderado pela Dra. Rachel McGalliard e pelo Dr. Steve McWilliam, a equipe analisou o potencial de dois marcadores de prever a LRA grave em crianças internadas na Unidade de Terapia Intensiva Pediátrica (UTIP) na Alder Hey Children’s NHS Foundation Trust. O primeiro, uma proteína chamada Lipocalina Associada à Gelatinase de Neutrófilos (NGAL), medida na urina e no sangue, e o segundo um escore clínico denominado Índice de Angina Renal (RAI).

Após extenso estudo, a equipe descobriu que uma combinação de RAI e NGAL urinária no primeiro dia de internação na UTIP forneceu uma previsão precisa para LRA grave – uma descoberta que pode salvar vidas de muitas crianças em estado crítico.

No estudo, 16% das crianças admitidas na UTIP desenvolveram LRA grave em 72 horas depois da admissão e 7% necessitaram de terapia de substituição renal. De acordo com estudos anteriores, o desenvolvimento de LRA foi associado à internação prolongada na UTIP e aumento da mortalidade. Um novo achado neste estudo foi que a LRA também foi associada ao aumento do risco de infecção hospitalar.

Os resultados foram publicados na revista científica PLOS ONE.

Acesse o artigo científico completo (em inglês).

Acesse a notícia completa na página da Universidade de Liverpool (em inglês).

Fonte: Universidade de Liverpool. Imagem: Aditya Romansa via Unsplash.

Em suas publicações, o Canal Farma da Rede T4H tem o único objetivo de divulgação científica, tecnológica ou de informações comerciais para disseminar conhecimento. Nenhuma publicação do Canal Farma tem o objetivo de aconselhamento, diagnóstico, tratamento médico ou de substituição de qualquer profissional da área da saúde. Consulte sempre um profissional de saúde qualificado para a devida orientação, medicação ou tratamento, que seja compatível com suas necessidades específicas.

Os comentários constituem um espaço importante para a livre manifestação dos usuários, desde que cadastrados no Canal Farma e que respeitem os Termos e Condições de Uso. Portanto, cada comentário é de responsabilidade exclusiva do usuário que o assina, não representando a opinião do Canal Farma, que pode retirar, sem prévio aviso, comentários postados que não estejam de acordo com estas regras.

Leia também

2021 Canal Farma | Portal de Notícias, Conteúdos e Rede Profissional em Ciências Farmacêuticas, Tecnologias e Saúde da Rede T4H.

Entre em Contato

Enviando

Fazer login com suas credenciais

ou    

Esqueceu sua senha?

Create Account