Notícia

Icterícia em recém-nascidos: software usa imagem de câmera digital para detectar, tratar e avisar cuidadores

Pesquisadores da Austrália e do Iraque desenvolveram software de processamento de imagem que pode diagnosticar com precisão a icterícia rapidamente

NHS, Reino Unido

Fonte

Universidade da Austrália Meridional

Data

quarta-feira, 24 novembro 2021 06:10

Áreas

Diagnóstico. Processamento de Imagens.

Imagine um sistema que pode detectar em um segundo se um bebê recém-nascido tem icterícia, uma condição que afeta 60% dos bebês e, em casos graves, leva a danos cerebrais e perda de audição. Visualize esse sistema iniciando um regime de tratamento imediatamente e notificando um profissional de saúde por mensagem de texto.

Graças a pesquisadores do Iraque e da Austrália, agora todas as três ações são possíveis. Engenheiros da Universidade da Austrália Meridional, e da Middle Technical University, no Iraque, desenvolveram um software de processamento de imagem que pode diagnosticar com precisão a icterícia rapidamente, ligar automaticamente uma luz LED azul para neutralizá-la e enviar o diagnóstico por meio de SMS para o cuidador.

A icterícia é uma condição comum em recém-nascidos, especialmente bebês prematuros, onde há uma sobrecarga de um pigmento amarelo-alaranjado chamado bilirrubina na corrente sanguínea. Normalmente essa condição se resolve rapidamente quando o fígado do bebê está maduro o suficiente para remover o pigmento do corpo. No entanto, em casos graves de icterícia, causada por anemia falciforme, doenças do sangue e falta de certas enzimas, a fototerapia é normalmente usada para tratar a doença, usando luz azul fluorescente para quebrar a bilirrubina na pele do bebê.

O Dr. Javaan Chahl, professor da Universidade da Austrália Meridional, disse que a icterícia é particularmente prevalente em países em desenvolvimento, onde muitas vezes não há o equipamento ou equipe médica treinada para tratá-la com eficácia. “Usando técnicas de processamento de imagem extraídas dos dados capturados pela câmera, podemos rastrear os recém-nascidos de maneira não invasiva e barata para detectar icterícia, antes de fazer um exame de sangue. Quando os níveis de bilirrubina atingem um determinado limite, um microcontrolador aciona a fototerapia com LED azul e envia os detalhes para um telefone celular. Isso pode ser feito em um segundo, literalmente, o que pode fazer toda a diferença em casos graves, onde danos cerebrais e perda auditiva podem ocorrer se o tratamento não for administrado rapidamente”, disse o professor Chahl.

Os pesquisadores testaram o sistema em uma unidade de terapia intensiva em Mosul, no Iraque, em 20 recém-nascidos com diagnóstico de icterícia. Um segundo conjunto de dados capturou 16 imagens de recém-nascidos, cinco deles saudáveis ​​e o restante com icterícia. O sistema também foi testado com sucesso em quatro outros manequins com cores de pele branca e marrom, com e sem pigmentação correspondente à icterícia.

“Pesquisas anteriores usando sensores para encontrar uma maneira não invasiva de detectar icterícia foram insuficientes. Os métodos testados não são confiáveis, são caros, ineficientes e, em alguns casos, causam infecções e alergias, quando os sensores precisam de contato com a pele ”, explicou o professor Chahl.

“Nosso sistema supera esses obstáculos detectando imediatamente a icterícia com base em uma nova representação digital da cor, que permite alta precisão diagnóstica a um custo relativamente baixo. Ele poderia ser amplamente utilizado em hospitais em todo o mundo e centros médicos onde instalações laboratoriais e equipe médica treinada não estão disponíveis”, concluiu o pesquisador.

O estudo foi publicado na revista científica Designs.

Acesse o artigo científico completo (em inglês).

Acesse a notícia completa na página da Universidade da Austrália Meridional (em inglês).

Fonte: Candy Gibson, Universidade da Austrália Meridional. Imagem: Pele amarela em recém-nascido com icterícia. Fonte: NHS, Reino Unido.

Em suas publicações, o Canal Farma da Rede T4H tem o único objetivo de divulgação científica, tecnológica ou de informações comerciais para disseminar conhecimento. Nenhuma publicação do Canal Farma tem o objetivo de aconselhamento, diagnóstico, tratamento médico ou de substituição de qualquer profissional da área da saúde. Consulte sempre um profissional de saúde qualificado para a devida orientação, medicação ou tratamento, que seja compatível com suas necessidades específicas.

Os comentários constituem um espaço importante para a livre manifestação dos usuários, desde que cadastrados no Canal Farma e que respeitem os Termos e Condições de Uso. Portanto, cada comentário é de responsabilidade exclusiva do usuário que o assina, não representando a opinião do Canal Farma, que pode retirar, sem prévio aviso, comentários postados que não estejam de acordo com estas regras.

Leia também

2022 farma t4h | Notícias, Conteúdos e Rede Profissional nas áreas de Ciências Biológicas, Biomédicas e Farmacêuticas, Saúde e Tecnologias 

Entre em Contato

Enviando

Fazer login com suas credenciais

ou    

Esqueceu sua senha?

Create Account