Notícia

Rumo a um tratamento “sem quimio” para a leucemia linfoblástica aguda mais comum em adultos

Grupo de pesquisa italiano demonstrou que uma combinação de terapia molecular direcionada e imunoterapia pode lidar com sucesso com o tipo mais frequente de leucemia linfoblástica aguda em adultos

Wikimedia Commons

Fonte

Universidade de Roma 'Sapienza'

Data

sexta-feira, 6 novembro 2020 14:30

Áreas

Biologia Celular e Molecular. Estudo Clínico. Medicina de Precisão. Oncologia.

Um grupo de pesquisa totalmente italiano, coordenado pelo Dr. Robin Foà, do Departamento de Medicina Translacional e de Precisão da Universidade de Roma ‘Sapienza’, na Itália,  demonstrou que uma combinação de terapia molecular direcionada e imunoterapia pode lidar com sucesso com o tipo mais frequente de leucemia linfoblástica aguda em adultos. evitando a quimioterapia e seus efeitos colaterais. Os resultados do estudo foram publicados na revista científica New England Journal of Medicine.

A ideia do projeto começou há cerca de 15 anos e hoje se tornou realidade. Os resultados da terapia “livre de quimio” testados em uma amostra de pacientes adultos com leucemia linfoblástica aguda (LLA) com alteração do cromossomo Filadélfia (Ph +), confirmam o sucesso do protocolo clínico desenvolvido pelo grupo de pesquisa italiano: 98% dos pacientes alcançam remissão hematológica completa, ou seja, não apresentam mais vestígios da doença e 60% apresentam o que os especialistas chamam de resposta molecular. Além disso, após um ano e meio do início do tratamento, a sobrevida global é de 95%. Esses resultados foram alcançados sem recorrer à quimioterapia sistêmica, que traz efeitos colaterais importantes, mas focando em uma combinação de terapia direcionada com alvos moleculares e imunoterapia.

“Este estudo é a consagração de uma ideia e surge no final de uma longa jornada em que tentamos eliminar a quimioterapia nas fases iniciais do tratamento desta forma especial de leucemia linfoblástica aguda”, afirmou o Dr. Robin Foà, primeiro autor do artigo.

No estudo, conduzido pelos Centros de Hematologia pertencentes ao Grupo Italiano de Doenças Hematológicas do Adulto (GIMEMA) com a coordenação do Dr. Robin Foà, foram envolvidos 63 pacientes com Ph + ALL com idade superior a 18 anos e sem um limite de idade inclusivo (o paciente mais idoso tinha 82 anos), em uma primeira fase de tratamento (indução) com o inibidor da tirosina quinase dasatinibe, seguida de uma segunda fase (consolidação) com o anticorpo monoclonal biespecífico blinatumomabe e, em seguida, indução e terapia de consolidação sem quimioterapia. Todos os estudos biológicos foram realizados de forma centralizada para garantir a uniformidade das análises em laboratórios certificados.

“Com esse tratamento conseguimos estimular o sistema imunológico que é ativado contra o tumor e os efeitos colaterais do tratamento são limitados. Além disso, grande parte da terapia é realizada em casa com, portanto, uma redução dos dias de internação “, acrescentou o Dr.  Foà, lembrando também outro dado muito encorajador ligado a pacientes posteriormente submetidos a transplante alogênico: ” A mortalidade associada ao transplante foi muito baixa, em 4,1%, e isso provavelmente está relacionado ao fato de que os pacientes não têm a toxicidade do tratamento quimioterápico atrás deles e são capazes de tolerar melhor o transplante”.

Esses resultados podem mudar profundamente a prática clínica no tratamento daquele que é o subgrupo mais frequente de LLA adulta, cuja incidência aumenta progressivamente com o avanço da idade, e que antes do advento dos inibidores da tirosina quinase tinha um prognóstico decididamente ruim.

Acesse o resumo do artigo científico (em inglês).

Acesse a notícia completa na página da Universidade de Roma ‘Sapienza’ (em italiano).

Fonte: Universidade de Roma ‘Sapienza’. Imagem: Blasto de linfócitos na leucemia linfoblástica aguda (LLA), em imagem observada com coloração May-Grünwald-Giemsa modificada, com aumento de 1.000x. Fonte: Wikimedia Commons.

Em suas publicações, o Canal Farma da Rede T4H tem o único objetivo de divulgação científica, tecnológica ou de informações comerciais para disseminar conhecimento. Nenhuma publicação do Canal Farma tem o objetivo de aconselhamento, diagnóstico, tratamento médico ou de substituição de qualquer profissional da área da saúde. Consulte sempre um profissional de saúde qualificado para a devida orientação, medicação ou tratamento, que seja compatível com suas necessidades específicas.

Os comentários constituem um espaço importante para a livre manifestação dos usuários, desde que cadastrados no Canal Farma e que respeitem os Termos e Condições de Uso. Portanto, cada comentário é de responsabilidade exclusiva do usuário que o assina, não representando a opinião do Canal Farma, que pode retirar, sem prévio aviso, comentários postados que não estejam de acordo com estas regras.

Leia também

2021 Canal Farma | Portal de Notícias, Conteúdos e Rede Profissional em Ciências Farmacêuticas, Tecnologias e Saúde da Rede T4H.

Entre em Contato

Enviando

Fazer login com suas credenciais

ou    

Esqueceu sua senha?

Create Account