Notícia

Inovação em vacinas para a COVID-19 pode acelerar drasticamente a produção mundial

A maioria das candidatas a vacina contra o novo coronavírus treina o sistema imunológico humano para reconhecer uma proteína-chave na superfície do vírus SARS-CoV-2, denominada proteína spike, a fim de combater a infecção

Divulgação, Universidade do Texas em Austin

Fonte

Universidade do Texas em Austin

Data

quinta-feira, 30 julho 2020 16:05

Áreas

Doenças Infecciosas. Farmacologia. Saúde Pública. Vacinas.

Respondendo à necessidade de desenvolver rapidamente bilhões de doses de vacinas que salvam vidas devido à COVID-19, uma equipe de cientistas da Universidade do Texas em Austin, nos Estados Unidos, redesenhou com sucesso uma proteína-chave do coronavírus. A modificação poderia permitir uma produção muito mais rápida e estável de vacinas no mundo todo.

As novas descobertas foram descritas na revista científica Science.

A maioria das candidatas a vacina contra o novo coronavírus treina o sistema imunológico humano para reconhecer uma proteína-chave na superfície do vírus SARS-CoV-2, denominada proteína spike (espiga), a fim de combater a infecção. Os pesquisadores projetaram uma nova versão dessa proteína que, quando expressa nas células, produz até 10 vezes mais proteínas do que a proteína espiga sintética anterior, já em uso em várias vacinas para a COVID-19. Junto com colegas dos Institutos Nacionais de Saúde (NIH), vários membros da equipe de pesquisa da Universidade do Texas também criaram a versão anterior da proteína spike encontrada em pelo menos dois candidatos à vacina COVID-19 atualmente em testes clínicos nos EUA.

“Dependendo do tipo de vacina, essa versão aprimorada da proteína pode reduzir o tamanho de cada dose ou acelerar a produção da vacina”, disse o Dr. Jason McLellan, professor associado do Departamento de Biociências Moleculares da Universidade do Texas e autor sênior do artigo. “De qualquer forma, isso poderia significar que mais pacientes tenham acesso às vacinas mais rapidamente”.

Apelidada de HexaPro, a nova proteína também é mais estável que a versão anterior da proteína spike, o que deve facilitar o armazenamento e o transporte. Ela também mantém sua forma, mesmo sob estresse térmico, durante o armazenamento em temperatura ambiente e através de vários congelamentos e descongelamentos. Tais qualidades são desejáveis ​​em uma vacina robusta.

A Fundação Bill & Melinda Gates contribuiu para o desenvolvimento da tecnologia por meio de uma doação com o objetivo de tornar as vacinas acessíveis a pessoas em países de baixa renda. As empresas de vacinas com diferentes tecnologias terão a capacidade de testar e desenvolver ainda mais as vacinas para a COVID-19 que usam a HexaPro. O Dr. McLellan também indicou que há interesse dos parceiros em estender o acesso à tecnologia para países em desenvolvimento.

“Quatro bilhões de pessoas que vivem em países em desenvolvimento precisarão acessar uma vacina, como todos nós”, disse o Dr. McLellan.

A HexaPro também poderia ser usada em testes de anticorpos para a COVID-19, onde atuaria como uma sonda para identificar a presença de anticorpos no sangue de um paciente, indicando se uma pessoa já teria sido infectada pelo vírus.

A empresa de biotecnologia Sino Biological obteve uma licença não exclusiva da Universidade do Texas em Austin para fabricar a HexaPro e comercializá-la para pesquisadores de todo o mundo.

Acesse o artigo científico completo (em inglês).

Acesse a notícia completa na página da Universidade do Texas em Austin (em inglês).

Fonte: Marc Airhart, Universidade do Texas em Austin. Imagem: Divulgação, Universidade do Texas em Austin.

Em suas publicações, o Canal Farma da Rede T4H tem o único objetivo de divulgação científica, tecnológica ou de informações comerciais para disseminar conhecimento. Nenhuma publicação do Canal Farma tem o objetivo de aconselhamento, diagnóstico, tratamento médico ou de substituição de qualquer profissional da área da saúde. Consulte sempre um profissional de saúde qualificado para a devida orientação, medicação ou tratamento, que seja compatível com suas necessidades específicas.

Os comentários constituem um espaço importante para a livre manifestação dos usuários, desde que cadastrados no Canal Farma e que respeitem os Termos e Condições de Uso. Portanto, cada comentário é de responsabilidade exclusiva do usuário que o assina, não representando a opinião do Canal Farma, que pode retirar, sem prévio aviso, comentários postados que não estejam de acordo com estas regras.

Leia também

2021 Canal Farma | Portal de Notícias, Conteúdos e Rede Profissional em Ciências Farmacêuticas, Tecnologias e Saúde da Rede T4H.

Entre em Contato

Enviando

Fazer login com suas credenciais

ou    

Esqueceu sua senha?

Create Account