Notícia

Técnica de imagem não invasiva pode reduzir a necessidade de repetidas cirurgias de câncer

Pesquisadores encontraram uma maneira mais rápida de examinar tecidos tumorais cancerígenos

Jimmy Jeong

Fonte

Universidade de Alberta

Data

segunda-feira, 27 abril 2020 07:35

Áreas

Cirurgia. Diagnóstico. Histologia. Oncologia. Processamento de Imagens.

Uma equipe de engenheiros da Universidade de Alberta, no Canadá, está refinando uma nova técnica de imagens médicas que pode reduzir o número de cirurgias repetidas que os pacientes podem ter que realizar para remover tumores cancerígenos.

A equipe, liderada pelo Dr. Roger Zemp, está usando a microscopia de detecção remota fotoacústica ultravioleta (UV-PARS) para visualizar e analisar rapidamente o tecido tumoral enquanto os pacientes ainda estão na cirurgia, para verificar com mais eficácia se o tumor inteiro foi removido e garantir que não sejam necessárias outras cirurgias.

A prática médica atual para determinar se um tumor inteiro foi removido durante a cirurgia, chamada histologia, envolve patologistas examinando uma seção do tumor removido através de um microscópio no laboratório, um processo que pode levar semanas.

“Eles podem olhar apenas para menos de 0,1% do volume do tumor”, disse o Dr. Zemp, que também é membro do Instituto de Pesquisa do Câncer do Norte de Alberta. “A histologia é atualmente o padrão ouro para determinar se os cirurgiões retiraram todo o tumor ou não, para saber se as margens ao redor do nódulo estão limpas e livres de tumor”.

A tecnologia UV-PARS fornece imagens semelhantes à histologia que são comparáveis ​​aos dados de diagnóstico obtidos anteriormente, sem a necessidade de enviar o tecido para análise.

A equipe do Dr. Roger Zemp desenvolveu um modelo do equipamento que seria de mesa, mas está trabalhando no aperfeiçoamento da tecnologia para aumentar a velocidade com que pode analisar tecidos e na criação de um modelo menor que seria mais adequado para uso clínico potencial nos próximos anos.

A equipe também está trabalhando para tornar a tecnologia segura para uso in vivo, o que significa em humanos ou animais vivos, e não apenas em amostras de tecido. A luz ultravioleta, como usada no UV-PARS, não é segura para uso geral em tecidos vivos, a menos que seja para um procedimento no qual as camadas de tecido estão sendo removidas, o que, no entanto, é comum em cirurgias.

Em suas publicações, o Canal Farma da Rede T4H tem o único objetivo de divulgação científica, tecnológica ou de informações comerciais para disseminar conhecimento. Nenhuma publicação do Canal Farma tem o objetivo de aconselhamento, diagnóstico, tratamento médico ou de substituição de qualquer profissional da área da saúde. Consulte sempre um profissional de saúde qualificado para a devida orientação, medicação ou tratamento, que seja compatível com suas necessidades específicas.

Os comentários constituem um espaço importante para a livre manifestação dos usuários, desde que cadastrados no Canal Farma e que respeitem os Termos e Condições de Uso. Portanto, cada comentário é de responsabilidade exclusiva do usuário que o assina, não representando a opinião do Canal Farma, que pode retirar, sem prévio aviso, comentários postados que não estejam de acordo com estas regras.

Leia também

2021 Canal Farma | Portal de Notícias, Conteúdos e Rede Profissional em Ciências Farmacêuticas, Tecnologias e Saúde da Rede T4H.

Entre em Contato

Enviando

Fazer login com suas credenciais

ou    

Esqueceu sua senha?

Create Account